Resumos
Legislação
Livros
Início
Concursos
Provas
Contato
Orkut
Favoritos
Seja um Parceiro do Site
Informar Concurso
.
.

ESTRATÉGIAS DE LEITURA

Isabel Solé

 

 

O objetivo desse livro é ajudar educadores e profissionais a promover a utilização de estratégias de leitura que permitam interpretar e compreender os textos escritos. 

Capítulo 1 - O desafio da Leitura

A leitura é um processo de interação entre o leitor e o texto para satisfazer um propósito ou finalidade. Lemos para algo: devanear, preencher um momento de lazer, seguir uma pauta para realizar uma atividade, entre outras coisas.
Para compreender o texto leitor utiliza seus conhecimento de mundo e os conhecimentos do texto.
Controlar a própria leitura e regulá-la, implica ter um objetivo para ela, assim como poder gerar hipóteses sobre o conteúdo que se lê. Por isso a leitura pode ser considerada um processo constante de elaboração e verificação de previsões que levam a construção de uma interpretação.

Na leitura de um texto encontramos, inicialmente o título, subtítulo, negrito, itálico, esquema. Isso pode ser utilizado como recursos para prever qual será o assunto do texto, por exemplo.
Esses indicadores servem para ativar o conhecimento prévio e serão úteis quando se precisar extrair as idéias centrais.

O que foi apresentado até agora pode dar pistas de como as práticas pedagógicas podem organizar situações de ensino e aprendizagem que tragam em si essas análises.

A leitura na escola

Um dos objetivos mais importante das escola é fazer com que os alunos aprendam a ler corretamente. Essa aquisição da leitura é indispensável para agir com autonomia nas sociedades letradas.
Pesquisas realizadas apontam que a leitura não é utilizada tanto quanto deveria, isto é, não lemos o bastante.
Uma questão que se coloca é a seguinte: será que os professores e a escola têm clareza do que é ler?

A leitura, um objeto de conhecimento

No Ensino Fundamental a leitura e a escrita aparecem como objetivos prioritários. Acredita-se que ao final dessa etapa os alunos possam ler textos de forma autônoma e utilizar os recursos ao seu alcance para referir as dificuldades dessa área.

O que se vê nas escolas, no ensino inicial da leitura, são esforços para iniciar os pequenos nos segredos do código a partir de diversas abordagens. Poucas vezes considera-se que essa etapa tem início antes da escolaridade obrigatória.

O trabalho de leitura costuma a se restringir a ler o texto e responder algumas perguntas relacionadas a ele como: seus personagens, localidades, o que mais gostou, o que não gostou, etc. isso revela que o foco está no resultado da leitura e não em seu processo. Percebe-se que as práticas escolares dão maior ênfase no domínio das habilidades de decodificação.

Capítulo 2 - Ler, compreender e aprender

 
É fundamental que ao ler, o leitor se proponha a alcançar determinados para determinar tanto as estratégias responsáveis pela compreensão, quanto o controle que, de forma inconsciente, vai exercendo sobre ela, à medida que lê. O controle da compreensão é um requisito essencial para ler de forma eficaz.

Para que o leitor se envolva na atividade leitura é necessário que esta seja significativa. É necessário que sinta que é capaz de ler e de compreender o texto que tem em mãos. Só será motivadora, se o conteúdo estiver ligado aos interesses do leitor e, naturalmente, se a tarefa em si corresponde a um objetivo.

Como isso pode ser transferido para a sala de aula: sabe-se que na diversidade da classe torna-se muito difícil contentar o interesse de todas as crianças com relação à leitura, portanto, é papel do professor criar o interesse.
Uma forma possível de propiciar esse interesse é possibilitar o a diferentes suportes para a leitura, que sejam e incentivem atitudes de interesse e cuidado nos leitores.
Ao professor cabe o cuidado de analisar o conteúdo que veiculam.

Compreensão leitora e aprendizagem significativa

A leitura nos aproxima da cultura. Por isso um dos objetivos da leitura é ler para aprender.
Quando um leitor compreende o que lê, está aprendendo e coloca em funcionamento uma série de estratégias cuja função é assegurar esse objetivo.

Isso nos remete a mais um objetivo fundamental da escola: ensinar a usar a leitura como instrumento de aprendizagem.

Devemos questionar a crença de que, quando uma criança aprende a ler, já pode ler de tudo e também pode ler para aprender. Se a ensinarmos a ler compreensivamente e a aprender a partir da leitura, estamos fazendo com que aprenda a aprender.  

Capítulo 3 - O ensino da leitura

Vamos apontar nesse capítulo a idéia errônea que consiste em considerar que a linguagem escrita requer uma instrução e a linguagem oral não a requer.

Código, consciência metalingüística e leitura

Devemos considerar como fundamental a leitura realizada por outros (família, amigos, pessoas) por familiarizar a criança com a estrutura do texto escrito e com sua linguagem.

Na escola ao se deparar com a linguagem escrita, a crianças, em muitos casos se encontra diante de algo conhecido, sobre o que já aprendeu várias coisas. O fundamental é que o escrito transmite uma mensagem, uma informação, e que a leitura capacita para ter acesso a essa linguagem. Na aquisição deste conhecimento, as experiências de leitura da criança no seio da família desempenham uma função importantíssima. Para além da existência de um ambiente em que se promova o uso dos livros e da disposição dos pais a adquiri-los e a ler, o fato de lerem para seus filhos relatos e histórias e a conversa posterior em torno dos mesmos parecem ter uma influência decisiva no desenvolvimento posterior destes com a leitura.

Assim, o conhecimento que a criança tem das palavras e suas características aumentará consideravelmente quando ela começar a manejar o impresso.

O trabalho que se deve realizar com as crianças é mostrá-las que ler é divertido, que escrever é apaixonante, que ela pode fazê-lo. Precisamos instigá-las a fazer parte desse mundo maravilhoso e cheio de significados.

O ensino inicial da leitura

Na escola, as atividades voltadas para o ensino inicial da leitura devem garantir a interação significativa e funcional da criança com a língua escrita, como um meio de construir os conhecimentos necessários para poder abordar as diferentes etapas de sua aprendizagem.

Para isso é fundamental trazer para a sala de aula, como ponto de partida, os conhecimentos que as crianças já possuem e a partir de suas idéias, ampliar suas significações.

A leitura e a escrita são procedimentos e devem ser trabalhados como tal em sala de aula.
Um aspecto importante que precisa ser garantido é o acesso a diferentes materiais escritos para as crianças: jornais, revistas, gibis, livros, rimas, poemas, HQ, e gêneros diversos.  

Capítulo 4 - O ensino de estratégias de compreensão leitora

Já tratamos no capítulo anterior que os procedimentos precisam ser ensinados. Se estratégias de leitura são procedimentos, então é preciso ensinar estratégias para a compreensão dos textos: não como técnicas precisas, receitas infalíveis ou habilidades específicas, mas como estratégias de compreensão leitora que envolvem a presença de objetivos, planejamento das ações, e sua avaliação.

Estas estratégias são as responsáveis pela construção de uma interpretação para o texto. E uma construção feita de forma autônoma.

Que estratégias vamos ensinar? O papel das estratégias na leitura

São aquelas que permitem ao aluno planejar sua tarefa de modo geral. Perguntas que o leitor deve se fazer para compreender o texto:

  1. Compreender os propósitos implícitos e explícitos da leitura. Que/Por que/Para que  tenho que ler?
  2. Ativar e aportar à leitura os conhecimentos prévios relevantes para o conteúdo em questão. Que sei sobre o conteúdo do texto?
  3. Dirigir a atenção ao fundamental, em detrimento do que pode parecer mais trivial.
  4. Avaliar a consistência interna do conteúdo expressado pelo texto e sua compatibilidade com o conhecimento prévio e com o “sentido comum”. Este texto tem sentido?
  5. Comprovar continuamente se a compreensão ocorre mediante a revisão e a recapitulação periódica e a auto-interrogação. Qual é a idéia fundamental que extraio daqui.
  6. Elaborar e provar inferências de diversos tipos, como interpretações, hipóteses e previsões e conclusões. Qual poderá ser o final deste romance?

Um conjunto de propostas para o ensino de estratégias de compreensão leitora pode ser considerado segundo BAUMANN (1985;1990) nos processos:

  1. Introdução. Explica-se aos alunos os objetivos daquilo que será trabalhado e a forma em que eles serão úteis para a leitura.
  2. Exemplo. Exemplifica-se a estratégia a ser trabalhada mediante um texto.
  3. Ensino Direto. O professor mostra, explica e escreve a habilidade em questão, dirigindo a atividade.
  4. Aplicação dirigida pelo professor.  Os alunos devem por em prática a habilidade aprendida sob o controle e supervisão do professor.
  5. Prática individual.  O aluno deve utilizar independentemente a habilidade com material novo.

Tipos de texto e expectativas do leitor

Alguns autores, entre eles ADAM (1985), classificam os textos da seguinte forma:

  1. Narrativo: texto que pressupõe um desenvolvimento cronológico e que aspira explicar alguns acontecimentos em uma determinada ordem.
  2. Descritivo: como o nome diz, descreve um objeto ou fenômeno, mediante comparações e outras técnicas.
  3. Expositivo: relaciona-se à análise e síntese de representações conceituais ou explicação de determinados fenômenos.
  4. Instrutivo-indutivo: tem como pretensão induzir a ação do leitor com palavras de ordem, por exemplo.

Seria fundamental que essa diversidade de textos aparecesse na escola e não um único modelo. Principalmente os que freqüentam a vida cotidiana.

Trata-se de organizar um ensino que caracterize cada um destes textos, mostrando as pistas que conduzem à uma melhor compreensão, fazendo com que o leitor saiba que pode utilizar as mesmas chaves que o autor usou  para formar um significado, e além de tudo interpretá-lo.

Capítulo 5 - Para compreender... Antes da leitura

Apresentam-se aqui seis passos importantes para a compreensão, que devem ser seguidos antes da leitura propriamente dita:

Idéias Gerais

São algumas idéias que o professor tem sobre a leitura:

  1. ler é muito mais do que possuir um rico cabedal de estratégias e técnicas.
  2. ler é um instrumento de aprendizagem, informação e deleite.
  3. a leitura não deve ser considerada uma atividade competitiva.
  4. quem não sente prazer pela leitura não conseguirá transmiti-lo aos demais.
  5. a leitura para as crianças tem que ter uma finalidade que elas possam compreender e partilhar.
  6. a complexidade da leitura e a capacidade que as crianças têm para enfrentá-la.

Motivação para a leitura

Toda atividade deve ter como ponto de partida a motivação das crianças: devem ser significativas, motivantes, e a criança deve se sentir capaz de fazê-la.

Objetivos da leitura

Os objetivos dos leitores, ou propósitos, com relação a um texto podem ser muito variados, de acordo com as situações e momentos.  Vamos destacar alguns dos objetivos da leitura, que podem e devem ser trabalhados em sala de aula:

    1. ler para obter uma informação precisa;
    2. ler para seguir instruções;
    3. ler para obter uma informação de caráter geral;
    4. ler para aprender;
    5. ler para revisar um escrito próprio;
    6. ler por prazer;
    7. ler para comunicar um texto a um auditório;
    8. ler para praticar a leitura em voz alta; e
    9. ler para verificar o que se compreendeu.

Revisão e atualização do conhecimento prévio

Para compreender o que se está lendo é preciso ter conhecimentos sobre o assunto. Mas algumas coisas podem ser feitas para ajudar as crianças a utilizar o conhecimento prévio que têm sobre o assunto, como dar alguma explicação geral sobre o que será lido; ajudar os alunos a prestar atenção a determinados aspectos do texto, que podem ativar seu conhecimento prévio ou apresentar um tema que não conheciam.

Estabelecimento de previsões sobre o texto 

É importante ajudar as crianças a utilizar simultaneamente diversos indicadores: como títulos, ilustrações, o que se pode conhecer sobre o autor, cenário, personagem, ilustrações, etc. para a compreensão do texto como um todo.

Formulação de perguntas sobre ele 

Requerer perguntas sobre o texto é uma estratégia que pode ser utilizada para  ajudar na compreensão de narrações ensinando as crianças para as quais elas são lidas a centrar sua atenção nas questões fundamentais.

Capítulo 6 - Construindo a compreensão... Durante a leitura

Para a compreensão do texto uma das capacidades envolvidas é a elaboração de um resumo, que reproduz o significado global de forma sucinta.
Para isso, deve-se ter a competência de diferenciar o que constitui o essencial do texto e o que pode ser considerado como secundário.

O professor pode utilizar em sala de aula a estratégia da  leitura compartilhada, onde o leitor vai assumindo progressivamente a responsabilidade e o controle do seu processo é uma forma eficaz para que os alunos compreendam as estratégias apontadas, bem como, a leitura independente, onde podem utilizar as estratégias que estão aprendendo. 

Não estou entendendo, o que eu faço? Os erros e as lacunas de compreensão

Para ler eficazmente, precisamos saber quais as nossas dificuldades. Podem ser: a compreensão de palavras, frases, nas relações que se estabelecem entre as frases e no texto em seus aspectos mais globais.
Para isso devemos ter estratégias como o uso do dicionário ou a continuação da leitura que pode sanar alguma dúvida.

Capítulo 7- Depois da leitura: continuar compreendendo e aprendendo...

A compreensão do texto resulta da combinação entre os objetivos de leitura que guiam o leitor, entre os seus conhecimentos prévios e a informação que o autor queria transmitir mediante seus escritos.
Para que os alunos compreendam a idéia principal do texto, o professor pode explicar aos alunos o que consiste a “idéia principal”, recordar porque vão ler concretamente o texto - função real, ressaltar o tema, à medida que vão lendo informar aos alunos o que é considerado mais importante, para que, finalmente concluam se a idéia principal é um produto de uma elaboração pessoal.

O resumo

Utilizar essa estratégia pode ser uma boa escolha para estabelecer o tema de um texto, para gerar ou identificar sua idéia principal e seus detalhes secundários.

É importante, também, que os alunos aprendam porque precisam resumir, e como fazê-lo, assistindo resumos efetuados pelo seu professor, resumindo conjuntamente, passando a utilizar essa estratégia de forma autônoma
COOPER (1990), afirma que para ensinar a resumir parágrafos de texto é importante que o professor:

  1. ensine a encontrar o tema do parágrafo e a identificar a informação trivial para deixá-la de lado.
  2. ensine a deixar de lado a informação repetida.
  3. ensine a determinar como se agrupam as idéias no parágrafo para encontrar formas de englobá-las.
  4. ensine a identificar uma frase-resumo do parágrafo ou a elaborá-la.

Capítulo 8- O ensino e a avaliação da leitura

Considerando o que foi visto até agora em relação aos processos de leitura e compreensão é interessante ressaltar que:

  1. Aprender a ler significa aprender a ser ativo ante a leitura, ter objetivos para ela, se auto-interrogar sobre o conteúdo e sobre a própria compreensão.
  2. Aprender a ler significa também aprender a encontrar sentido e interesse na leitura.
  3. Aprender a ler compreensivamente é uma condição necessária par poder aprender a partir dos textos escritos.
  4. Aprender a ler requer que se ensine a ler, e isso é um papel do professor.
  5. Ensinar a ler é uma questão de compartilhar. Compartilhar objetivos, compartilhar tarefas, compartilhar os significados construídos em torno deles.
  6. Ensinar a ler exige a observação dos alunos e da própria intervenção, como requisitos para estabelecer situações didáticas diferenciadas capazes de se adaptar à diversidade inevitável da sala de aula.
  7. É função do professor promover atividades significativas de leitura, bem como refletir, planejar e avaliar a própria prática em torna da leitura.

Para finalizar esse livro se faz necessário ressaltar que as mudanças na escola acontecem quando são feitas em equipe. Reestruturar o ensino da leitura deve passar por isso: uma construção coletiva e significativa para os alunos, e também para os professores.

Comentários
Nicole Mieko Takada disse em: 19/01/2011 - 15:19
Muito bom este resumo do livro: ESTRATÉGIAS DE LEITURA, sendo pertinente para nós educadores pensarmos em como usar essa valiosa estratégia didática no dia a dia, independente da disciplina ministrada, pois ler e interpretar compete a todas!!! Utilizar a leitura textual, debater a temática, identificar as idéia principais e secundárias, fazer resumos... tudo isso é algo muito importante que os alunos devem aprender, pois se utilizarão disso para estudos posteriores, concursos ou vestibulares. O objetivo do livro é ajudar educadores a promover a utilização de estratégias de leitura, vale a pena tentar colocar tais ideias em prática, boa dica!!!
 
Nicole Mieko Takada disse em: 08/02/2011 - 13:00
O grande desafio para nós educadores se encontra na necessidade da busca e da criação de mecanismos que façam a leitura um hábito atrativo desde a fase da infância, desde o momento em que a criança está descobrindo seu mundo e o fantasiando. Fazer o ato de ler não algo sofrível, mas algo prazeroso, instigante, emocionante e que auxilie o indivíduo no desenvolvimento de suas habilidades. Esse é um grande desejo e desafio que devemos alcançar.
 
francisca vieira disse em: 07/07/2011 - 11:41
o contexto abordado sobre as estratégias de leitura é exelente pois educadores precisam motiva seus alunos a serem bons leitores
 
Jurema M. Rico dos Santos disse em: 10/11/2012 - 15:49
O exercício da leitura é muito importante para o desenvolvimento do aluno, inclusive nas outras matérias. A leitura precisa ser praticada diariamente em sala de aula: eu sempre inicio a aula com uma leitura. O resumo do livro, além de ser um estímulo à prática, tem uma linguagem simples com dicas de estratégias importantes que poderemos usá-las na aplicação das nossas aulas. Fico-lhe grata.
 
arlete aparecida monte disse em: 04/03/2013 - 11:54
preciso adquirir este libro, devido aos processos seletivos que tenho feito éste é um dos itens.Posso encontrar em qual editora?
 
Elisangela O. Santos disse em: 20/08/2013 - 11:05
Ola, gostaria de saber quem é o autor deste resumo.
 
wanda aparecida costa boleli disse em: 20/08/2013 - 11:26
achei esse resumo excelente,parabéns,foi de muita utilidade na minha pesquisa,obrigada.
 
ANGELA LUIZA CRISCUOLO AMANTINO PAES disse em: 23/10/2013 - 13:09
NUNCA PENSEI QUE UMA LEITUTRA PUDESSE SER TÃO ÚTIL COMO FOI,ACRESCENTOU MUITO,NAS MINHAS PRATICAS PUDE ME APRIMORAR E TIRAR MINHAS DÚVIDAS A RESPEITO DO TEMA.GRATA
 
juciene vieira de l.carvais disse em: 15/11/2013 - 10:17
Vou fazer uma monografia sobre esse tema leitura ou melhor "QUAL A IMPORTÂNCIA DA LEITURA EM SALA DE AULA....gostaria que me enviasse alguma coisa por favor estou no 7° termo de Pedagogia.....muito obrigada....
 
francisca das chagas carvalho de lima disse em: 29/11/2013 - 12:56
estou fazendo um projeto sobre o tema literatura infantil...
 
Deixe seu comentário aqui!
Nome
Email
Site
Comentário
 
Política de Privacidade Home Concursos Provas Favoritos Orkut